Escolas de Guimarães vendem energia à EDP

Seis escolas do 1º Ciclo de Guimarães começaram, no passado dia 2, a fornecer energia eléctrica à EDP. Os painéis solares e fotovoltaicos foram instalados em escolas de Caldelas, Creixomil, Santo Tirso de Prazins, Polvoreira, Pinheiro e Lordelo. "Durante os próximos 15 anos, a câmara vai receber 10% do valor total da energia produzida e vendida á EDP", disse Domingos Bragança, vereador das Obras Municipais e responsável pelo projecto. A autarquia já decidiu que vai prescindir do dinheiro que tinha a receber e vai entregar as verbas às escolas em causa. "Em média, cada escola vai receber cerca de 400 euros por ano como pagamento pela energia que estão a produzir", referiu ainda Bragança. Para a colocação de painéis nos telhados dos estabelecimentos de ensino, a autarquia celebrou um protocolo com uma empresa que instalou o equipamento. Em troca, 10% do valor total da energia fornecida à EDP é entregue a cada escola para que use o dinheiro em favor da comunidade escolar.

A EB 1 da Quinta do Vale, em Polvoreira, por exemplo, já dispõe de 21 painéis fotovoltaicos e solares para aquecer a água, poupando no gás. Em termos de energia eléctrica, a escola deverá produzir anualmente 4000 kw. "A escola vai produzir cerca de metade da energia que gasta, embora, tecnicamente, não possa usar a que produz", salientou Domingos Bragança. Assim, cada estabelecimento terá dois contadores eléctricos: um para registar a energia consumida e outro para contar a que é produzida e vendida à EDP.

"Já realizámos 30 auditorias a escolas com o objectivo de reduzir os consumos actuais", explicou o vereador. Algumas vão receber pequenas obras para evitar perdas de energia e reduzir consumos, implementado 'medidas correctivas' para minimizar gastos. Os técnicos da autarquia fizeram ainda vistorias em edifícios públicos como as piscinas municipais, o multiusos, a central de camionagem e o Arquivo Municipal.

fonte:jn.sapo

publicado por adm às 21:45 | comentar | favorito
tags: