18
Out 11
18
Out 11

Investimentos em renováveis reavaliados ainda este ano

A proposta de Orçamento de Estado para 2012 prevê revisão dos objectivos da Estratégia Nacional para a Energia, com o objectivo de elaborar «uma nova política energética mais equilibrada e sustentável».

E reitera uma aposta forte na eficiência energética, na reavaliação de novos investimentos em energias renováveis – a ser feita ainda este ano – , assim como a revitalização das ESCOS e a «implementação efectiva» do programa Eco.AP.

De acordo com o documento, irão ainda ser reforçadas as medidas de eficiência energética no sector residencial, transportes e iluminação pública, que irão ser estabelecidas entre o último trimestre de 2011 e o primeiro de 2012.

Para o início do primeiro trimestre do ano está também prometida uma Estratégia Nacional dos Recursos Geológicos, que irá estabelecer um estratégia de financiamento para dinamizar a fase de prospecção e atracção de investimento estrangeiro para exploração.

fonte:http://www.ambienteonline.pt/

publicado por adm às 22:42 | comentar | favorito
16
Out 11
16
Out 11

Viana do Castelo: Sucesso nas energias renováveis chega a Atenas

O presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo está em Atenas, Grécia, para um workshop organizado pela Comissão Europeia sobre casos de boas práticas de cooperação entre o sector público e privado no sector das energias renováveis. José Maria Costa foi convidado a explicar o caso do cluster eólico e a aposta nas energias renováveis no concelho como exemplo de mobilização de investimentos.

O workshop, destinado a especialistas, autarcas, políticos e empresários, é uma iniciativa da “Manenergy” da Comissão Europeia, que convidou o autarca de Viana do Castelo para falar do caso português e do bom exemplo da mobilização para investimentos em energias renováveis.

Investimentos infra-estruturais e mobilização dos habitantes

Com o cluster eólico como pano de fundo, o edil abordou temas como a colaboração entre os sectores público e privado no caso da instalação da Enercon em Portugal e de como foi desenvolvido o enquadramento legal, político e financeiro para esta aposta, mas também quais são os incentivos nacionais para as energias renováveis e os investimentos infra-estruturais, assim como a mobilização dos habitantes de Viana do Castelo para esta realidade e o seu impacto na economia local.

Empresas vianenses envolvidas

Na semana em que foi anunciado mais um investimento no Cluster Eólico, o autarca quis mobilizar para os investimentos nesta área, dando exemplos de algumas empresas vianenses como a Saertex, a Sanitopo, o Grupo PA e a Enercon, mas salientando igualmenteo que a Câmara Municipal tem vindo a fazer neste âmbito, nomeadamente com as medidas de poupança energética do concelho.

Neste âmbito, enquadram-se a substituição de lâmpadas normais por LED nos semáforos, a colocação de baterias de condensadores nos edifícios camarários, a instalação de 18 reguladores de fluxo na iluminação pública e 39 nas freguesias, a instalação de painéis fotovoltáicos em 38 instalações municipais, a instalação de colectores solares para água quente ou a implementação de melhorias nos sistemas de aquecimento de águas e isolamento termino nos pavilhões de Monserrate, Santa Maria Maior e Santa Marta.

fonte:http://www.correiodominho.com/

publicado por adm às 17:13 | comentar | favorito
09
Out 11
09
Out 11

Ilha neozelandesa será 100% sustentável em 2012

Formada por três atóis e com aproximadamente 1,5 mil moradores, a Ilha de Tokelau, na Nova Zelândia, passará a ser totalmente sustentável a partir da segunda metade do ano que vem. Os moradores contarão com painéis fotovoltáicos para captar a energia solar e também terão um gerador que usará óleo vegetal de coco para funcionar e gerar energia. As informações foram divulgadas pela NewScientists. 

Segundo Foua Toloa, líder das Ilhas Tokelau, 93% da energia gerada será solar e 7% virá do óleo do coco. Christopher Dey, da Universidade de Sidney, na Austrália, conta que cada atol terá um painel fotovoltáico de 200 metros quadrados e o óleo será utilizado em um gerador, nos períodos de maior demanda energética da ilha. 

Pelos cálculos do engenheiro Dey, serão necessários 20 a 30 litros de óleo de coco por dia, o que equivaleria a 200 cocos. Este dado foi obtido pela Empower Consultoria, da Nova Zelândia, depois de um estudo que comprovou asustentabilidade do sistema, já que os frutos são abundantes em Tokelau. 

Foua Toloa diz que a energia limpa será usada, principalmente para abastecer as residências e recarregar as próprias baterias do conjunto solar. O líder diz que a comunidade já está estudando alternativas para substituir o combustível usado nos automóveis da ilha e o óleo de cozinha. Atualmente, querosene, gasolina e gás natural usados em Tokelau são comprados em Sidney,ou 
em Wellington, capital da Nova Zelândia.

Ilhas-modelo

A iniciativa dos moradores da ilha não é inédita. Há quatro anos, a Ilha de Samso, na Dinamarca, instalou usinas eólicas com quatro mil turbinas no Mar do Norte, que produzem 100 milhões de quilowatts por ano. Também foram instalados painéis solares e geradores movidos a biocombustíveis na ilha. Como a produção é maior que a demanda local, o excedente de energia é exportado para a Dinamarca continental. Existem aproximadamente 5 mil moradores em Samso. 

Já na costa espanhola está a El Hierro, ilha das Canárias, que passará a ser 100% sustentável até dezembro deste ano. Com um investimento de US$ 87 milhões, a ilha terá um parque eólico, uma usina hidrelétrica e painéis fotovoltáicos para atender a demanda de energia de 11 mil moradores.

fonte:http://revistagloborural.globo.com

publicado por adm às 10:21 | comentar | favorito