31
Mai 12
31
Mai 12

Peniche vai ter produção de energia das ondas

A empresa finlandesa AW Energy deverá instalar até final de junho tecnologia no fundo do mar da praia da Almagreira, Peniche, para produção de energia a partir das ondas, disse esta quinta-feira o presidente da câmara.

António José Correia afirmou à agência Lusa que, após três anos a trabalhar nos estaleiros navais de Peniche, a empresa já concluiu a construção de uma plataforma metálica de 40 metros que vai ser instalada no fundo do mar.

Nesta plataforma vão ser instaladas pás verticais que, ao movimentar-se, vão produzir energia.

«Duas pás já estão concluídas e estão a produzir a terceira. Há boias no mar a sinalizar o local», acrescentou o autarca, adiantando que a empresa «prevê até final de junho implantar a estrutura no mar da Almagreira».

Desde 2009 que os parceiros tecnológicos têm vindo a trabalhar no projeto-piloto, correspondente à fase pré-comercial de produção de energia, para o qual estão envolvidos cinco milhões de euros, três dos quais financiados pela Comissão Europeia, após a aprovação de uma candidatura ao sétimo Programa Quadro de Investigação e Desenvolvimento.

A tecnologia Wave Roller vai produzir resultados que, caso sejam favoráveis, vão permitir avançar para uma fase comercial de produção de energia.

Trata-se de um equipamento pioneiro, com pás que oscilam debaixo de água com o movimento das ondas e que foi testado pela primeira vez a nível mundial na praia da Almagreira em 2007.

Mais tarde, a única máquina Wave Roller, instalada a 20 metros de profundidade e a 500 milhas da praia, foi retirada da água por problemas técnicos, atrasando a concretização do projeto em cerca de três anos.

A inovação foi criada em 2007 pela AW Energy para ser comercializada e testada em Portugal pela empresa Eneólica, do Grupo Lena, durante a primeira fase de demonstração do projeto-piloto.

Através de pás flutuantes que acompanham o movimento das águas, a tecnologia é capaz de captar energia para depois ser transformada em eletricidade, como demonstrou o protótipo com uma potência de 15 quilowatts (KW).

O objetivo dos promotores passa por criar na praia da Almagreira um grande parque mundial de energia das ondas e entrar numa fase de exploração comercial do projeto com uma potência instalada entre os 50 e os 100 megawatts (MW).

A avançar para a fase comercial, o investimento ascenderá a 100 milhões de euros e colocará Portugal na linha da frente no segmento da produção mundial de energia a partir do movimento das ondas.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 23:28 | comentar | favorito
14
Mai 12
14
Mai 12

Governo corta apoios à cogeração e poupa 162 milhões por ano

O Governo cortou, esta segunda-feira, a subsidiação à produção de eletricidade através da cogeração - eletricidade produzida por unidades industriais que vendem à rede com uma tarifa especial - e revogou a garantia de potência decidida pelo executivo de Sócrates, em agosto de 2010, dando cumprimento ao memorando de entendimento com a troika. 

As duas portarias, publicadas hoje em Diário da República, farão com que, em ano cruzeiro, haja uma poupança de cerca de 162 milhões por ano que não serão impactados nas tarifas de eletricidade dos consumidores, segundo as contas do secretário de Estado da energia, Artur Trindade, que já tinha alertado que a forma de remuneração iria ser alterada no sentido de baixar um custo anual de cerca de 100 milhões de euros ao sistema elétrico.

Artur Trindade disse que a cogeração «impacta muito negativamente na fatura de eletricidade dos portugueses», até porque está «ligada a um sistema dos preços do petróleo», cita a Lusa.

A portaria, que revoga o regime de prestação de serviços de garantia de potência - a renda anual que o sistema elétrico paga aos produtores para compensar os dias em que as centrais térmicas estão paradas e de sobreaviso - vai permitir uma poupança de cerca de 62 milhões de euros por ano, uma verba que os produtores de eletricidade, como a EDP e a espanhola Endesa, vão deixar de receber.

De acordo com a mesma portaria, haverá também uma limitação do incentivo ao investimento em reforços de potência de barragens com bombagem para metade do valor atual, «sendo concedido ao longo do mesmo período de 10 anos após a data de entrada em serviço industrial».

A portaria publicada hoje, apesar de baixar as tarifas de cogeração, não desanexa o seu valor ao preço do petróleo no mundo, uma promessa que o secretário de Estado disse que irá realizar através da revisão do decreto-lei da cogeração a apresentar proximamente na Assembleia da República.

«Mais lá para a frente haverá uma revisão do decreto-lei da cogeração, que tem que ser revisto no Parlamento. É algo que nos pode levar mais longe no nosso desígnio», disse Artur Trindade no Parlamento.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 21:16 | comentar | favorito
09
Mai 12
09
Mai 12

Lucro da EDP Renováveis bate estimativas

O lucro líquido da EDP Renováveis cresceu 26% no primeiro trimestre de 2012, acima das previsões dos analistas.

A EDP Renováveis terminou o primeiro trimestre de 2012 com lucros de 62 milhões de euros, uma subida de 26% face ao período homólogo. Os analistas sondados pela agência Reuters apontavam para um resultado de 54 milhões de euros.

O EBITDA cresce 20% para 263 milhões de euros, também acima das estimativas da poll de analistas, que esperavam um valor de 243 milhões de euros.A empresa referiu que o seu lucro cresceu "reflectindo maioritariamente o desempenho recorrente ao nível operacional" e "beneficiaram da extensão da vida útil dos projectos para 25 anos, embora parcialmente mitigados pela introdução da contabilização de impostos diferidos nos EUA."

A Renováveis, quarta eólica mundial com capacidade instalada, anunciou também que aumentou a sua produção de eletricidade em 18%, dado o crescimento da capacidade instalada ao longo dos últimos 12 meses e ao crescimento da utilização.

Ontem, a empresa informou em comunicado enviado à CMVM que Ana Maria Fernandes, líder da EDP Brasil, renunciou ao cargo de membro do Conselho de Administração da EDP Renováveis "em face das novas responsabilidades assumidas no seio da EDP -Energias de Portugal, S.A.".

Na primeira reacção no mercado, as acções da Renováveis mantinham-se inalteradas nos 3,43 euros euros.

fonte:http://economico.sapo.pt/no

publicado por adm às 08:22 | comentar | favorito
05
Mai 12
05
Mai 12

Energias renováveis alternativas ganham novo impulso

Especialistas de 36 centros de pesquisa europeus anunciaram que os resultados do estudo da Agência Internacional de Energia (AIE) sobre soluções de energia solar térmica e bombas de calor estarão concluídos no final de 2012.

O grupo de trabalho da AIE – Task 44/Annex 38 – reuniu-se pela primeira vez em Portugal, na Póvoa de Varzim, para debater a otimização e a sustentabilidade dos sistemas que combinam energia solar térmica com bombas de calor. A Energie, empresa portuguesa líder mundial de sistemas solares termodinâmicos e membro da Task 44, foi a promotora da reunião, em parceria com o Laboratório Nacional de Energia e Geologia (LNEG).
 
O grupo de trabalho apresentou o ponto de situação do estudo que teve início em 2010 e que dá um novo impulso a soluções alternativas de energia renovável.
 
A grande vantagem dos sistemas combinados de energia solar térmica com bomba de calor, entre os quais se encontra o sistema solar termodinâmico da Energie, é a redução significativa do consumo de eletricidade da bomba de calor e o aquecimento/arrefecimento 24 horas por dia, ao contrário dos sistemas solares térmicos tradicionais.
 
Recorde-se que a diretiva 2009/28/CE considera as bombas de calor uma fonte de energia renovável, dentro de parâmetros que serão anunciados em 2013.

fonte:http://noticias.portugalmail.pt

publicado por adm às 16:18 | comentar | favorito
01
Mai 12
01
Mai 12

Turbina produz água limpa e energia eólica ao mesmo tempo

 

 

Uma nova tecnologia promete resolver dois problemas preocupantes em uma tacada só: a escassez de água e a criação de novas formas de coleta de energia limpa. A turbina, fabricada pela empresa francesa Eole Water coleta umidade (até dos mais secos ambientes) e a transforma em água limpa. Ao mesmo tempo, gera energia a partir do vento.

A inovação já está em funcionamento no deserto de Abu Dhabi e, segundo a Eole, já consegue coletar cerca de 16 galões de água por hora. Ela funciona como uma turbina comum, com a hélice girando para gerar energia. Mas, ao mesmo tempo, o ar é sugado pelo “nariz” da máquina e enviado para um compressor capaz de extrair umidade do ar. As gotículas de água que ficam presas na parede do compressor caem em um coletor que vai, aos poucos, juntando todo o líquido e o envia para um filtro. Então é só beber a água fresquinha.

De acordo com a empresa francesa, uma turbina sozinha é capaz de produzir mil litros de água por dia, dependendo da umidade e da quantidade de vento. Apesar de ser uma esperança para comunidades que sofrem com a falta de água, o custo da tecnologia é bastante elevado: 790mil dólares por peça.

fonte:http://revistagalileu.globo.com/

publicado por adm às 23:16 | comentar | favorito