Combustíveis fósseis podem ser relíquias do passado em 2050

 

Esta é a principal conclusão de um estudo realizado ao longo de dois anos pelo World Wildlife Fund.
O relatório mostra que, em quatro décadas, é possível habitarmos um mundo povoado por economias e sociedades vibrantes, movido por energias limpas, renováveis e com um significativo aumento de qualidade de vida. O estudo, que constitui igualmente um apelo à acção, incita a um investimento em eficiência energética e em reciclagem para baixar os níveis de procura de energia em 15%, de acordo com valores de 2005, mesmo que o output populacional, de viagens, transportes e industrial aumente.


Os investimentos iniciais para se atingir este resultado, apesar de extremamente elevados, irão permitir uma poupança no valor de 5,5 biliões de dólares por ano até 2050, de acordo com o Ecofys Group, consultora especializada em energias renováveis que apoiou a execução do relatório.


O WWF prevê um mundo onde a electricidade resultante das energias renováveis constitua o tipo predominante de energia, com os combustíveis líquidos e sólidos - a maioria proveniente de fontes de biomassa - a serem utilizados para as necessidades de transporte e da maioria dos processos industriais. Grande parte dos carros e comboios serão eléctricos e as "redes inteligentes" serão responsáveis por uma gestão eficaz da distribuição eléctrica. No modelo apresentado, a energia solar dará um salto da sua posição actual, na qual gera apenas 0,02 % do nosso fornecimento energético, para produzir metade da electricidade, metade do aquecimento dos edifícios e 15% da energia térmica e necessidades industriais.


As turbinas eólicas, por seu turno, irão gerar um quarto da electricidade mundial, sendo que deverá existir um investimento significativo em energia geotermal e das ondas. Ou seja, é possível atingir estes objectivos, desde que os governos se comprometam a estabelecer normas para a eficiência energética e politicas que encorajem estes investimentos.

fonte:http://www.oje.pt/

publicado por adm às 23:28 | comentar | favorito