Marques Mendes quer que governantes ponham as mãos na biomassa

"Só num país de doidos é que há um concurso que o Governo abre em Março de 2006 para 15 centrais de biomassa e cinco anos depois tem o concurso praticamente no papel", afirmou o gestor e antigo dirigente do PSD.

 

Luís Marques Mendes, administrador da Nutroton Energias, afirmou hoje que no domínio da energia "as prioridades de investimento precisam de ser reavaliadas", reclamando uma maior consideração do Governo português pela produção deelectricidade a partir de biomassa. 

Marques Mendes sublinhou hoje, num seminário da Câmara de Comércio Luso-Belga-Luxemburguesa e da Sociedade Rebelo de Sousa, que "o poder político não tem manifestado sensibilidade [para a biomassa], com excepção do actual secretário de Estado [da Energia, Carlos Zorrinho]". 

O mesmo responsável, que tem dado a cara pelos interesses de várias empresas dedicadas à biomassa, lançou críticas ao actual Governo. "Só num país de doidos é que há um concurso que o Governo abre em Março de 2006 para 15 centrais de biomassa e cinco anos depois tem o concurso praticamente no papel", afirmou Marques Mendes. 

O gestor e antigo dirigente do Partido Social Democrata lembrou ainda que os parques eólicos funcionam cerca de 2.500 horas por ano e as centrais solares cerca de 1.600 horas, enquanto as unidades de biomassa produzem electricidade durante quase 7.500 horas por ano. 

Marques Mendes também chamou a atenção para o papel de geração de emprego das centrais de biomassa, por contraposição às eólicas e energia solar. Ainda assim, o administrador da Nutroton Energias considera que "esta aposta que o país tem feito nos últimos anos nas renováveis é estrategicamente correcta". 

Luís Marques Mendes lamenta ainda que haja menos investidores virados para o sector da biomassa. "Os bancos não acham graça nenhuma a financiar a biomassa", referiu o mesmo responsável. 

fonte:http://www.jornaldenegocios.pt

publicado por adm às 23:48 | comentar | favorito