Bicombustíveis ainda são pouco sustentáveis

«O mercado está a conduzir-nos para biocombustíveis pouco sustentáveis», revelou Nusa Urbancis, gestora de políticas na Federação Europeia dos Transportes e Ambiente, no Seminário Internacional sobre Políticas e Impactes dos Biocombustíveis em Portugal e na Europa, que teve lugar hoje em Lisboa.

Dados da entidade onde exerce funções, revelam que as alterações indirectas do uso do solo (ILUC, da sigla em inglês) podem levar a emissões adicionais entre 31 a 65 milhões de toneladas por ano, ou seja, ter um impacto correspondente a entre 14 a 29 milhões de veículos extra nas estradas.

Este mês deverá ser conhecido o relatório europeu de avaliação do impacto das alterações do uso do solo associadas aos biocombustíveis, após a Comissão Europeia ter decidido prorrogar o prazo por um mês. O documento deverá contribuir para a definição dos critérios de sustentabilidade dos biocombustíveis.

Chris Malins, gestor do programa de combustíveis limpos do Conselho Internacional para os Transportes Limpos, antecipou o que pode ser esperado com este documento: «em termos gerais, promover os biocombustíveis não é uma boa política de mitigação de GEE [Gases com Efeito de Estufa]», referiu.

fonte:http://www.ambienteonline.pt/

publicado por adm às 23:20 | comentar | favorito