Timor desafia Galp a investir nos biocombustíveis

Política do Governo de Timor-leste passa por redução da dependência externa, aposta nas renováveis e protecção do ambiente

 

O secretário de Estado da Política Energética de Timor-Leste, Avelino Coelho, convidou esta sexta-feira a Galp a desenvolver investimentos no país, no sector dos biocombustíveis.

Durante um debate sobre o futuro dos «combustíveis verdes», integrado no encontro sobre energia realizado em Díli, Avelino Coelho salientou que Timor-Leste, apesar de 80 por cento da sua população viver da agricultura, tem mais de um milhão de terras por cultivar, que pode ser aproveitado para o cultivo de oleaginosas para produzir biocombustível, escreve a Lusa.

Apesar dos recursos consideráveis em petróleo e gás natural do país, Timor-Leste tem uma dependência energética quase total do exterior, que Avelino Coelho quer ver reduzida.

Por isso, salientou, a política energética do Governo de que faz parte têm como grandes linhas a redução da dependência externa, a aposta nas renováveis e a protecção do ambiente.
De acordo com os estudos que estão na posse da sua Secretaria de Estado, existem potencialidades no país para produzir até 252 megawatts com recursos hídricos, 72 megawatts de energia eólica e até 40 megawatts em parques solares.

A aposta nos biocombustíveis é outra das componentes da política do Governo, que avançou já com um campo experimental de 150 hectares, onde os agricultores associados em modelo cooperativo cultivam jatrofa, e montou uma destilaria com capacidade para produzir entre 1.500 a 2.000 litros por dia.

«Estamos a fazer esse estudo prático, com uma produtividade de cerca de um litro por cada três quilos de sementes de jatrofa, planta que não é estranha a Timor, onde se dá até no monte Ramelau e que já era cultivada pelos nossos ancestrais desde há séculos», disse.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 10:26 | comentar | favorito
tags: