Brisa poupa 300 mil euros por ano nos gastos com electricidade

O plano da concessionária do Grupo José de Mello inclui ajustes na iluminação das auto-estradas.

A Brisa vai poupar 300 mil euros por ano com um plano de eficiência energética na rede de auto-estradas que a empresa iniciou em 2010. Já no ano passado a concessionária controlada pelo Grupo José de Mello conseguiu poupar cerca de 300 mil euros (10% de redução de custos com electricidade), perspectivando para este ano e para 2012 poupanças de cerca de 300 mil euros nesta área de cortes de custos com a energia.

Fonte oficial da Brisa explica que o consumo de electricidade constitui cerca de 54% do consumo total de energia da Brisa. 

Após um ano de testes-piloto, foram aplicadas medidas concretas, como o ajuste dos relógios astronómicos (que comandam a ligação da iluminação das auto-estradas), de acordo com o ciclo horário solar, assim como o acerto dos controladores de fluxos luminosos na rede, 

"ajustando-os às necessidades reais".

Além disso, a Brisa alterou a potência de iluminação em certos pontos da rede de 400W para 250W e, em alguns casos, de 250W para 150W, "quando adequado. Em 2010, a poupança introduzida pelas medidas deste projecto totalizaram 11.372 GigaJoules. As intervenções descritas tiveram como objectivo a optimização de energia, mantendo todos os níveis de segurança e serviço", assegura a referida fonte oficial da Brisa.

Participadas reduzem consumo

Para além da poupança registada a nível operacional, todas as restantes participadas da Brisa registaram reduções no consumo de electricidade no último ano, "o que resultou numa diminuição total de cerca de 10,9% no consumo de electricidade do grupo".

Para conseguir atingir este objectivo, a Brisa está ainda a testar equipamentos e tecnologias inovadoras no âmbito da energia solar. "Neste momento, os testes estão relacionados como os equipamentos de telemática rodoviária (SOS, painéis de mensagens variáveis, estações meteorológicas e câmaras) em cerca de 70 locais", revela a mesma fonte da Brisa.

O mesmo responsável acrescenta que a concessionária do Grupo José de Mello está também a realizar estudos para a introdução de painéis fotovoltaicos, uma iniciativa que já está a ser concretizada na participada da Brisa nos Estados Unidos.

Concluídos os testes em causa, e seguindo os resultados exploratórios até agora conseguidos, a Brisa pretende generalizar o conceito a toda a rede de auto-estradas que gere.

A empresa liderada por Vasco de Mello gasta cerca de três milhões de euros por ano com energia. Em 2008, este consumo equivaleu a 132.863 GigaJoules, que subiu para 142.340 GigaJoules em 2009. No ano passado, já em resultado destas medidas, o consumo energético da concessionária baixou para 126.780 GigaJoules. Uma tendência que se deverá manter em 2011 e nos próximos anos.

 

Northwest Parkway vai ser alimentada por energia solar

A Nortwest Parkway, concessionária de auto-estradas com portagem, localizada em Denver, Colorado, nos Estados Unidos, está a iniciar um projecto inovador de energia solar para alimentar diversos equipamentos da rede. Pedro Costa, administrador executivo desta participada da Brisa, adiantou ao Diário Económico que a concessionária fechou recentemente um contrato com uma empresa norte-americana, a Energy Capital, que vai instalar dezenas de painéis fotovoltaicos ao longo dos cerca de 18 quilómetros da rede de auto-estrada. "O Colorado tem espaço e cerca de 300 ou mais dias de sol por ano. Temos uma estimativa de poupança anual de cerca de cinco mil dólares por ano com este projecto", assegurou Pedro Costa. O gestor explica ainda que a Nortwest Parkway pagava até agora cerca de 11 cêntimos de dólar por KW/h. "Agora, passámos a pagar um preço médio de cerca de cinco cêntimos de dólar por KW/h", sublinha Pedro Costa. O presidente da Northwest Parkway adiantou que o contrato é por 20 anos e prevê que o aumento do preço médio de referência da energia a ser fornecida pela Energy Capital se fixará numa taxa de 3,5% ao ano, "pelo que no final deste prazo ainda vamos pagar muito mais barato pela energia do que antes".

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 21:51 | comentar | favorito