EUA quer liderança em energia limpa

Os Estados Unidos, sem uma política governamental a fixar limites à emissão de gases do efeito estufa, continuam alheios ao aquecimento global, mas uma agência estatal, de orçamento modesto, mostra os primeiros sinais que o país pode tomar um rumo diferente. 
A Agência de Projectos Avançados em Energia (Arpa-E) realizou um congresso em que apresentou mais de 250 programas de pesquisa em energia que estão ainda na fase de experiência. Todos têm como meta serem alternativa aos combustíveis fósseis. 
Empresas recém-criadas e laboratórios universitários tentam criar tecnologias limpas, desde equipamentos com hélices para gerarem energia eólica até bactérias geneticamente modificadas para produzir biodiesel. A Arpa-E, que tem à frente o cientista de materiais Arun Majumdar, tenta, desde 2009, fomentar ideias na área, embora o dinheiro para isso, pelo menos por enquanto, não seja muito. A agência, com um orçamento de 180 milhões de dólares, tem para gastar num ano o que o Exército norte-americano gasta num dia no Afeganistão. 
“A primeira coisa que perguntamos é se, caso o projecto tenha sucesso, vai fazer alguma diferença”, referiu Arun Majumdar. 
“A natureza deste tipo de inovação é arriscada, mas não corremos o risco pelo risco”, salientou.

fonte:http://jornaldeangola.sapo.ao

publicado por adm às 11:46 | comentar | favorito
tags: