07
Set 11

Alemanha: Mais de 20% da energia produzida no primeiro semestre de 2011 provém de fontes renováveis

Um relatório da Associação Alemã das Indústrias da Energia e Água revela que, pela primeira vez, a potência europeia superou os 20% energia limpa produzida, o que revela que está no bom caminho para cumprir o objectivo de que 35 % de toda a energia seja proveniente das renováveis em 2022, altura em que está prevista também a desactivação das últimas centrais nucleares.

Foi recentemente publicado pela Associação Alemã das Indústrias da Energia e Água um relatório em que é analisado desempenho da Alemanha no que toca à produção de energia limpa no primeiro semestre de 2011.

Os resultados são muito positivos já que, pela primeira vez, a potência do Norte da Europa superou os 20% de energia total produzida proveniente das renováveis.

Com efeito, nos primeiros 6 meses de 2011 foram produzidos 57,3 biliões kWh hora a partir de fontes renováveis, que correspondem a 20,8% do total global de 275,5 biliões kWh consumidos a nível nacional, um aumento de 2,5% relativamente a 2010.

A energia eólica mantém-se na liderança da produção, com 7,5% do total global (20,7KWh), seguida da biomassa, cuja produção representa 5,6% do total (15,4 biliões kWh). A surpresa é que a energia solar fotovoltaica ocupa actualmente o terceiro lugar porque, pela primeira vez superou a energia hídrica, representando 3,5 % da energia eléctrica produzida, contra os 3,3% da hidroelectricidade (9,6 biliões kWh versus 9,1 biliões kWh, respectivamente).

Estes números indicam que a Alemanha está no bom caminho para cumprir o objectivo a que se propôs de que 35% da energia produzida a nível nacional seja limpa em 2022, altura em que também está prevista a desactivação das últimas 3 centrais nucleares, do total de 20 - 17 serão encerradas até 2021 segundo o plano apresentado por Ângela Merkel em Maio passado.

Dados recentemente divulgados pela Direcção Geral de Energia e Geologia revelam que, em Portugal, a energia eléctrica produzida a partir de fontes renováveis correspondia a 50,9% para efeitos da Directiva 2011/77/CE. Esta directiva estabeleceu como meta para 2010 que 39% da energia eléctrica fosse gerada a partir das renováveis, meta que foi alterada para 45%, em 2005, quando foi apresentada a Estratégia Nacional para a Energia (ENE) aprovada pela Resolução do Conselho de Ministros nº 169/2005, de 24 de Outubro. O objectivo foi cumprido: em 2010 para efeitos da Directiva acima mencionada, 50,2% da electricidade foi gerada a partir de fontes de energia renováveis. Em a ENE foi revista tendo sido adoptadas novas metas para 2020 – ENE 2020 – entre as quais se destaca aquela que estabelece que 60% da electricidade seja gerada a partir das Renováveis.

fonte:http://naturlink.sapo.pt

publicado por adm às 22:36 | comentar | favorito
tags:
29
Ago 11

Alemanha bate cota de produção de energias renováveis

As energias renováveis atingiram 20,8% da produção elétrica alemã na primeira metade de 2011, um número recorde para a primeira economia europeia, anunciou nesta segunda-feira a Associação Federal da Economia da Energia e a Água (BDEW).

 

A produção de fontes renováveis supôs um total de 57.3 bilhões de kilowatt/hora nesse período, frente aos 50,4 bilhões de kilowatt/hora (18,3% do total) do primeiro semestre do ano anterior.

Concretamente, a energia eólica representou 7,5% da produção elétrica total entre janeiro e julho, seguida pela biomassa (5,6%), a solar (3,5%) e a hidrelétrica (3,3%).

O Executivo federal se comprometeu que para 2020 pelo menos 35% da energia que se consuma na Alemanha provenha de fontes renováveis.

Por sua vez, o comissário europeu de Energia, o democrata-cristão alemão Günther Oettinger, qualificou nesta segunda-feira de "exemplar" o modelo energético alemão, mas advertiu sobre os custos do "blecaute" nuclear aprovado recentemente na Alemanha.

Em um congresso sobre energias renováveis realizado em Berlim, pediu aos países do sul da Europa a instalar mais parques solares para aproveitar o potencial desta energia em seus territórios, que desfrutam de mais horas de sol que a Alemanha, algo que ajudaria a contornar parcialmente seus problemas de dívida.

"Azeitonas e queijo de cabra não bastam", acrescentou Oettinger em referência à Grécia.

fonte:http://exame.abril.com.br/

publicado por adm às 23:28 | comentar | favorito
14
Jul 10

Alemanha até 2050 pode ter 100% de energia renovável

A Alemanha irá produzir toda a sua eletricidade com fontes de energia renovável até 2050 e se tornar a primeira grande nação industrial a eliminar a dependência sobre combustíveis fósseis, disse a Agencia Federal do Meio Ambiente nesta quarta-feira.

A Alemanha já é uma liderança em energia renovável e exporta tecnologia verde para o mundo todo.

O país produz 16 por cento de sua energia de fontes eólicas, solares e outras fontes renováveis - três vezes o índice de cinco por cento, há 15 anos.

 

"Uma conversão completa para a energia renovável até 2050 é possível do ponto de vista técnico e ecológico", disse Jochen Flasbarth, presidente da Agência Federal do Meio Ambiente, ao apresentar um novo estudo a jornalistas na quarta-feira.

 

"É uma meta muito realista baseada em tecnologia já existente - não é uma previsão abstrata", acrescentou, dizendo que o cronograma poderia até ser acelerado com novas inovações tecnológicas e uma maior aceitação do público.

 

Graças ao Ato de Energia Renovável, a Alemanha é o líder mundial de fotovoltaicos com metade da capacidade instalada. O país espera acrescentar mais de 5 mil megawatts de capacidade fotovoltaica neste ano para um total de 14 mil megawatts.

A Alemanha também é a segunda maior produtora de energia eólica depois dos Estados Unidos. Cerca de 300 mil empregos no setor de energia renovável foram criados na Alemanha na última década.

 

O governo pretende cortar a emissão de gases de efeito estufa em 40 por cento entre 1990 e 2020, e de 80 para 85 por cento até 2050. Esse objetivo pode ser atingido se a Alemanha converter completamente para fontes renováveis até 2050, disse Flasbarth.

Cerca de 40 por cento dos gases de efeito estufa produzidos pela Alemanha vem da produção de eletricidade, particularmente de usinas de carvão.

 

Flasbarth disse que o estudo da Agência do Meio Ambiente descobriu que a conversão para energia verde até 2050 teria vantagens econômicas, especialmente para a importante indústria manufatureira voltada para exportação. Além disso, também criaria dezenas de milhares de empregos.

"O custo da conversão total para renováveis é muito menor que o custo para futuras gerações causado pelas mudanças climáticas", disse ele.

fonte:http://oglobo.globo.com

publicado por adm às 23:13 | comentar | favorito