16
Out 10
16
Out 10

Mini-hídricas avançam em 2011

O plano das centrais de míni-hídricas vai avançar em 2011, segundo a versão preliminar da proposta de Orçamento do Estado para 2011.

Promete-se que esse arranque será feito com o lançamento de concursos e procedimentos simplificados.

Serão também lançados os concursos para a instalação de centrais fotovoltaicas de média potência na proximidade dos centros consumidores de energia eléctrica, “evitando investimentos em redes de transporte e distribuição e permitindo a instalação de 150 MW”.

O QREN continuará, por outro lado, a apoiar a instalação de painéis solares térmicos, enquanto a míni-geraçao de electricidade passará a impor a existência de consumos significativos nos locais de instalação e a aplicação de medidas de eficiência energética.

fonte:economia

publicado por adm às 20:09 | comentar | favorito
11
Out 10
11
Out 10

Biometano aquece casas no Reino Unido

Cerca de 200 habitações de Oxfordshire, no Reino Unido, vão ser aquecidas a partir de resíduos humanos. O biometano utilizado é extraído do esgoto produzido pelas habitações, sendo depois injectado na rede nacional de gás.

As empresas da área British Gas, Thames Water e Scotia Gas Networks têm a esperança de lançar este processo em todo o Reino Unido. «Os consumidores não notarão qualquer diferença já que a de energia renovável não tem odor e a infra-estrutura para entregar o gás já está pronta», garantiu um responsável da British Gas. Todo o processo deve levar cerca de 23 dias desde a descarga do esgoto até o retorno como fonte de energia.

Outras empresas de energia também já anunciaram os seus planos para injectar biometano directo para a rede no futuro. A United Utilities planeia servir 500 casas em Manchester utilizando o mesmo sistema, já em 2011.

fonte:ambienteonline

publicado por adm às 22:43 | comentar | favorito
10
Out 10

Escolas de Guimarães vendem energia à EDP

Seis escolas do 1º Ciclo de Guimarães começaram, no passado dia 2, a fornecer energia eléctrica à EDP. Os painéis solares e fotovoltaicos foram instalados em escolas de Caldelas, Creixomil, Santo Tirso de Prazins, Polvoreira, Pinheiro e Lordelo. "Durante os próximos 15 anos, a câmara vai receber 10% do valor total da energia produzida e vendida á EDP", disse Domingos Bragança, vereador das Obras Municipais e responsável pelo projecto. A autarquia já decidiu que vai prescindir do dinheiro que tinha a receber e vai entregar as verbas às escolas em causa. "Em média, cada escola vai receber cerca de 400 euros por ano como pagamento pela energia que estão a produzir", referiu ainda Bragança. Para a colocação de painéis nos telhados dos estabelecimentos de ensino, a autarquia celebrou um protocolo com uma empresa que instalou o equipamento. Em troca, 10% do valor total da energia fornecida à EDP é entregue a cada escola para que use o dinheiro em favor da comunidade escolar.

A EB 1 da Quinta do Vale, em Polvoreira, por exemplo, já dispõe de 21 painéis fotovoltaicos e solares para aquecer a água, poupando no gás. Em termos de energia eléctrica, a escola deverá produzir anualmente 4000 kw. "A escola vai produzir cerca de metade da energia que gasta, embora, tecnicamente, não possa usar a que produz", salientou Domingos Bragança. Assim, cada estabelecimento terá dois contadores eléctricos: um para registar a energia consumida e outro para contar a que é produzida e vendida à EDP.

"Já realizámos 30 auditorias a escolas com o objectivo de reduzir os consumos actuais", explicou o vereador. Algumas vão receber pequenas obras para evitar perdas de energia e reduzir consumos, implementado 'medidas correctivas' para minimizar gastos. Os técnicos da autarquia fizeram ainda vistorias em edifícios públicos como as piscinas municipais, o multiusos, a central de camionagem e o Arquivo Municipal.

fonte:jn.sapo

publicado por adm às 21:45 | comentar | favorito
tags:
10
Out 10

Primeira central de biomassa animal do País em produção

As primeiras experiências de produção de energia vão iniciar-se este mês na central de biomassa animal da Iberfer, localizada em Tondela. É a primeira unidade deste género que vai produzir energia em Portugal.

A unidade está já toda concluída e deverá produzir energia eléctrica a partir de um processo inovador de gaseificação da matéria-prima, de origem animal. Para o processo ficar completo é necessário, depois, a introdução da energia na rede.

O projecto da Iberfer pretende, assim, valorizar a biomassa animal. A empresa é detida pelo grupo Nutroton.

fonte:ambienteonline

publicado por adm às 21:38 | comentar | favorito
04
Out 10
04
Out 10

Algarve prevê investir 350 milhões em energias renováveis

A Self Energy, uma empresa portuguesa de soluções e serviços de gestão de energia que maximizam o valor dos recursos energéticos, acaba de assinar um acordo com o Algarve Energy Park, projeto ligado à demonstração de tecnologias solares e energias renováveis, passando assim a integrar soluções nacionais num conceito que pretende ser internacional.

O Algarve Energy Park, cujo fundador é um holandês, Marc Rechter, prevê a junção de ciência, indústria, formação e lazer numa área de 300 hectares, possibilitando a criação, numa fase avançada, de 2 mil postos de trabalho.

Segundo o criador do conceito, o parque energético apresenta um conceito único até a nível europeu, uma vez que permitirá sinergias entre educação, investigação e criação de produtos. “Estamos entusiasmados por dar as boas vindas à Self Energy como um forte parceiro e participante na Plataforma de Demonstração Solar do Algarve Energy Park. Na qualidade de uma empresa baseada na inovação o Algarve Energy Park está a estabelecer parcerias com organizações que partilham os seus objectivos e ambições”, explica Marc Rechter, CEO do Algarve Energy Park.

O projeto inclui a geração de energia solar e eólica, a criação de um parque temático para demonstrações do potencial das energias renováveis ao público e um centro de Sistemas de Energia Sustentável (SOLARLab), aberto às indústrias.

Inclui um Centro de Formação Profissional, Incubadora de empresas e Academia de Investigação, para atrair empresas especializadas na tecnologia solar, redes de distribuição inteligente ou células de combustível.

fonte:observatoriodoalgarve

publicado por adm às 20:57 | comentar | favorito